Que haja paz entre nós

Todos querem estar certos, todos querem ter razão e defender ferrenhamente seus pontos de vista. Existem contendas pelo time de futebol, o partido político, a crença, a sexualidade, a cor da pele, o cantor preferido e até a forma de se alimentar... Qualquer assunto merece ser discutido, debatido, mas caso haja quem discorde das ideias do outro, a coisa pode até se tornar violenta.


Percebo isso aqui no Blog. Os veganos, vegetarianos ou os que só comem carne branca às vezes se exaltam ao questionarem as informações que são passadas aqui. Por isso modero os comentários, alguns chegam a ser ofensivos. Respeito os vegetarianos e espero o respeito deles também. Creio que o vegetarianismo é mais do que uma simples dieta, é um estilo de vida. Porque quem abre mão de comer carne e produtos de origem animal em nome da saúde (mesmo que, para mim, essa abstinência seja desnecessária) pra ser coerente também deve ter uma vida regrada e hábitos saudáveis, como praticar exercícios, não beber, não fumar, dormir bem. E tudo isso só pode fazer bem. Tudo isso eu faço, porém, não abro mão da carne magra, vermelha ou branca, e a minha saúde também vai bem, obrigada!!

Vivemos em uma sociedade plural, temos que conviver com quem é diferente e pensa diferentemente de nós. A tolerância ao outro deve ser a base da paz em sociedade.

O debate racional é enriquecedor, mas é preciso maturidade para ouvir com respeito as ideias e opinões contrárias às suas e é preciso saber dizer o que se pensa sem ofender o outro.

Deixo as palavras do apóstolo Paulo (porque sim, sou evangélica, com todo respeito a quem não é), ao aconselhar os irmãos de Roma sobre essas contendas que já existiam no início do século:

“Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes. O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu.”
Romanos 14:2-3